Guia para aplicação do BLW: sim e não

Continuando com a tradução livre do guia para a introdução de alimentação complementar guiada pelo bebê, a seguir vocês encontram a listagem do que “pode” e “não pode” no BLW, de acordo com a autora do método.

Lembrando que a versão original completa encontra-se disponível no site da autora (link).

SIM e NÃO do Baby Led Weaning

1. SIM – Ofereça ao seu bebê a chance de participar em qualquer momento em que alguém da família esteja comendo. Você pode começar assim que o bebê mostrar interesse em observá-lo comendo, embora ele seja incapaz de colocar alimentos em sua própria boca até completar 6 meses de idade.

2. SIM – Assegure que seu bebê está apoiado em posição vertical quando ele estiver experimentando alimentos. Nos primeiros dias, você pode colocá-lo sentado em seu colo, olhando para a mesa. A habilidade para pegar alimentos com as mãos praticamente coincide com a maturidade para sentar-se com mínimo apoio em um cadeirão.

3. SIM – Inicie oferecendo alimentos do tamanho do punho do bebê, preferencialmente em formato de batata-frita (ou com uma haste). Assim que possível – e considerando o que eles podem ou não comer – ofereça ao bebê os mesmo alimentos que você está comendo, assim ele irá sentir-se fazendo parte do que está acontecendo.

4. SIM – Ofereça ao bebê uma variedade de alimentos. Não há necessidade de limitar a experiência com alimentos.

5. NÃO – Não apresse seu bebê. Permita a ele dirigir o ritmo do que ele está fazendo. Em particular, não fique tentado a “ajudá-lo” colocando coisas em sua boca.

6. NÃO – Não espere que seu bebê engula alimentos nas primeiras poucas tentativas. Uma vez que ele descobrir que esses “brinquedos” são gostosos, ele irá começar a mastigar e, posteriormente, engolir.

7. NÃO – Não espere que um bebê pequeno coma TODOS os pedaços de alimento oferecidos, logo de início – lembre-se que ele ainda não desenvolveu a habilidade de pegar o alimento que está dentro de seu punho (só o que ficou aparecendo pra fora).

8. SIM – Tente oferecer alimentos que foram rejeitados em um outro momento. Os bebês geralmente mudam de ideia e posteriormente aceitam alimentos que inicialmente haviam rejeitado.

9. NÃO – Absolutamente NUNCA deixe seu bebê sozinho com a comida.

10. NÃO – Não ofereça alimentos que são obviamente perigosos, como qualquer tipo de castanha/amendoim.

11. NÃO – Não ofereça fast-food, refeições prontas ou alimentos com adição de sal/açúcar.

12. SIM – Ofereça água com um copo, mas não se preocupe se seu bebê não se interessar no início. Um bebê ainda amamentado no peito, em particular, tende a continuar a querer saciar a sede no seio materno por certo tempo.

13. SIM – Prepare-se para a bagunça! Um plástico no chão, embaixo do cadeirão, irá proteger seu tapete/carpete e facilitar a limpeza. Também irá permitir que você coloque de volta na bandeja alimentos que forem derrubados, de forma que haja menos desperdício (Você irá se surpreender positivamente no quão rápido os bebês aprendem a comer bagunçando menos).

14. SIM – Continue a permitir que seu bebê receba leite materno quando quiser, e o quanto quiser. Espere mudanças no padrão de amamentação quando ele começar a comer mais sólidos.

15. SIM – Se você tem história familiar de intolerância a qualquer tipo de alimento, alergias ou quaisquer problemas digestivos (como refluxo, por exemplo), DISCUTA O MÉTODO com o pediatra antes de iniciar.

16. SIM – E, por último, permita-se aproveitar vendo o seu bebê aprender sobre comida – e desenvolver habilidades manuais e orais com o processo!

OBSERVAÇÃO: O conteúdo do guia é de única e exclusiva responsabilidade da autora e não existem conflitos de interesses com a publicação desta tradução livre. O conteúdo é atual até a data de Junho de 2008 e quaisquer modificações de orientação após essa data devem ser investigadas e conduzidas.

Fonte:

Rapley, G. Guia para implementação de uma abordagem de introdução de alimentos sólidos guiada pelo bebê. 2008. Disponível em: www.rapleyweaning.com. Último acesso: 31/08/2014.