Quando os reflexos protetores são um sinal de aviso

Há um tempo atrás rolou uma discussão em um grupo de BLW do facebook, sobre o vídeo de um bebê tendo uma sequência de reflexos de gag durante 40 segundos.

Antes de tudo, queria ressaltar que a intenção aqui não é criar pânico, pelo contrário, é justamente alertar. O que é normal e o que precisa de intervenção.

A maioria dos gags é muito rápido e eficaz. Se o alimento “desce” um pouco mais, ainda tem a tosse pra ajudar a expelir.

É tão raro ter um gag assim que inclusive causou uma enorme discussão sobre “acho que foi” e “acho que não foi” engasgo. O vídeo é gringo, e está disponível no youtube:

Se notarem, nem o próprio adulto está muito certo do que aconteceu. Tanto que entitulou o vídeo como “choking“, e não “gagging(e mudou o título depois de tantas críticas rsrsrs). De qualquer forma, todas concordamos que bebê está apresentando gag. Aliás, muitos gags. Mas gag é um reflexo de proteção. Assim como a tosse.

Se o bebê tem um acesso de tosse por 40 segundos, poderíamos caracterizar o episódio como engasgo. Como já vimos anteriormente, o engasgo é uma condição decorrente de uma obstrução total (sufocamento – a pessoa para de respirar) ou parcial (onde existe passagem aérea, mas há algo atrapalhando o fluxo), como é o caso deste bebê. Mas como nomenclatura é algo muito discutível em várias áreas do conhecimento, não me importo que não concordem comigo se é ou não é engasgo.

O que quero reforçar é que não permitam que seu bebê seja exposto a situação semelhante a esta. Simplesmente porque não vale a pena. MESMO que não haja sufocamento.

Na prática, em nossa discussão, algumas mães tiveram a sensação que o bebê estava bem, pois estava respirando, embora poucas relataram ter a coragem de esperar por tanto tempo quanto a pessoa do vídeo esperou. Por um momento, fiquei pensando em como poderia fazê-las entender um pouco melhor o risco de deixar tanto tempo uma via aérea em fluxo entrecortado.

Então a ideia que tive foi a seguinte: imaginem uma pessoa dentro do mar, que de repente percebe que não dá mais pé. Ela começa tentar a nadar. Em vão, pois a corrente é forte. Ela está respirando, mas começa a ficar ofegante. Ela afunda, prende a respiração. Põe a cabeça pra fora da água e inspira, abaixa e prende a respiração, expira, sobre de novo, inspiração forçada….. não há coordenação inspiração/expiração. E em poucos minutos a pessoa se afoga pelo cansaço… Cansaço!

Algumas pessoas podem dizer: “ai nossa, que exagero!”. Mas o fato é que estamos falando de um bebê que fica 40 segundos com um fluxo aéreo entrecortado. Aos 25 segundos, o pedaço grande, visível, que aparentemente seria o causador do gag, cai da boca. E o bebê continua tentando se desvencilhar de algo não detectável, por mais 15 segundos .

Para reflexão: nesse vídeo, o bebê conseguiu sair desse acesso sozinho. Entretanto, se em uma inspiração forçada, sumariamente pelo cansaço, o pedaço escorrega pra via aérea inferior, o bebê é colocado em uma condição de sufocamento depois de ter ficado 40 segundos em uma situação de fluxo respiratório entrecortado. Cansaço. É um RISCO muito grande.

Gags vão acontecer no início da IA por BLW. É absolutamente normal. Se prepare pra eles.

Mas são rápidos. Vão durar no máximo uns 15 segundos, no máximo levando a um vômito por excesso de ânsia. A criança volta a comer como se nada tivesse acontecido, caso o adulto passe confiança e tranquilidade na situação.

Não tem mesmo que enfiar o dedo na boca a cada pedaço grande que entra. O bebê em pouco tempo aprende a cuspi-los, e ainda, a morder pedaços menores, se for dada a oportunidade dele aprender naturalmente. Por meio do reflexo de gag, por meio da mastigação por amassamento com as gengivas, por meio da aquisição de movimentos finos com a língua.

Dito isso, nem por isso eu preciso expô-lo a riscos absolutamente desnecessários. Não vou dar alimentos duros, por exemplo. Não vou deixar ele comendo sem supervisão. Vou pesar o custo-beneficio em cada situação. E nessa situação, o custo benefício tá muito desbalanceado.

Me disseram que eu provavelmente estava plantando mais o “terror” do que ajudando de fato com esse post. Não sei. Mas espero que, quem não tenha ficado confiante o bastante pra passar por uma situação destas, procure ler muito mais sobre como ajudar seu bebê caso ele precise, ou faça um curso de primeiros socorros.

É um alerta, pois infelizmente é uma situação que pode acontecer. Não é fácil falar da parte chata, podia sempre só falar de como o blw é lindo e maravilhoso, mas discutir esse tipo de situação também é preciso. Quizá o pediatra nos ensinasse alimentação saudável e primeiros socorros ao invés de ficar se apegando em quantidades e horários.

O que fazer se isso acontecer comigo?!?!?

Vou detalhar a sequência de eventos conforme o vídeo, pois fica bem explicativo e vocês podem generalizar facilmente para situações semelhantes.

Então, primeiro de tudo: mantenha-se calma e focada. Não aja sem pensar, pois isso pode prejudicar a situação, ao invés de ajudar.

Segundo, você está vendo o pedaço que está causando esse desconforto excessivo? No vídeo, pode-se claramente ver um pedaço grande da banana no céu da boca do bebê.

Se você CLARAMENTE o pedaço que esta causando o engasgo, vc pode retirá-lo deslizando gentilmente seu dedo no espaço que fica entre a gengiva e a bochecha do bebe, de modo que vc traga o alimento DE TRÁS, para FRENTE.

Em hipótese nenhuma enfie o dedo na boca do bebê sem pensar antes de agir.

No vídeo, o adulto esperou 25 segundos para que o pedaço grande caísse da boca do bebê. Porém, ainda assim, ele continuou em desconforto. Já não era mais possível ver o que o estava incomodando.

Nesse caso, é indicada a realização da manobra de desengasgamento, conforme detalhada no vídeo dos bombeiros a seguir:

 

Lembrem-se, um gag normal, eficiente, que faz parte do processo de aprendizagem do bebê, aquele que dá pra confiar mesmo, dura em média 2-15 segundos.

O que já parece uma eternidade (tem vários exemplos no instagram). Mais do que isso, simplesmente é um risco desnecessário.

Quem ainda não leu, vale a pena ler os últimos posts sobre mecanismos de proteção de via aérea:

 

face-ads-2