BLW: O bebê vai comer tudo o que precisa?

20170424_122148.jpg

Você é um pai ou uma mãe prestes a iniciar a introdução alimentar do seu filho e em suas pesquisas encontrou um novo método chamado Baby-led Weaning, com uma proposta totalmente diferente da tradicional “papinha”. Assistiu vídeos, leu relatos de outros pais que aderiram ao método, estudou sobre o reflexo de gag e o risco de engasgo. Mas uma pergunta não sai da cabeça: meu bebê vai ingerir todos os nutrientes que ele precisa?

Como o método é baseado em auto-alimentação, fica realmente difícil quantificar a ingestão alimentar e isso deixa pais e profissionais de saúde reticentes em relação à segurança do método do ponto de vista nutricional. Mas independente do método de introdução aos sólidos escolhido pela família, os responsáveis precisam ser orientados a oferecer refeições de boa densidade nutricional, dando oportunidade para que a criança faça escolhas saudáveis e que garantem um bom aporte de nutrientes para atender à alta demanda relativa ao rápido crescimento.

Vale ressaltar que até 1 ano de idade o leite materno ou leite artificial continuam sendo a principal fonte de nutrição do bebê e os alimentos sólidos vão gradativamente aumentando sua participação na dieta da criança. Ter isso em mente é importante para manter a serenidade necessária para guiar a introdução alimentar, tornando o momento das refeições prazeroso e evitando as ‘guerras’ na hora de comer.

Abaixo listo os principais nutrientes com os quais devemos ter atenção e de que forma podemos oferecer os alimentos fonte nos primeiros meses do BLW:

 

Ferro

  • Carnes (bovina e de frango) no formato de tiras largas que o bebê irá segurar e chupar.
  • Peixe, preferencialmente desfiado (para que se retire qualquer espinha) sendo adicionado a bolinhos, com batata doce cozida e amassada, por exemplo.
  • Gema de ovo, sendo oferecida em omeletes, que podem ser preparados em forminhas de cupcake.
  • Vegetais verde escuros, que podem ser adicionados ao omelete e à bolinhos, sempre pré-cozidos e bem picados. O Brócolis é um vegetal verde escuro que pode ser facilmente oferecido desde o inicio.
  • Cozinhar os legumes e o feijão adicionando um pedaço de carne bovina à água aumenta o teor de ferro nesses alimentos.

Vitamina C

  • Tem papel importante em aumentar a taxa de absorção do ferro presente nos alimentos de origem vegetal.
  • Oferecer, portanto, uma fruta rica nessa vitamina após o almoço e jantar.
  • Por exemplo: laranja em rodelas ou gomos, tangerina em gomos, abacaxi em meia lua, kiwi em fatias, manga em fatias (mantendo a casca para ajudar a não escorregar das mãos do bebê)

Cálcio

  • Presente no leite materno e no leite artificial
  • Vegetais verdes escuros
  • Grão de bico, feijões e lentilha, oferecidos no formato de hambúrguer ou bolinhos (no início) e em grãos (com a aquisição do movimento de pinça)
  • Com exceção ao leite materno, atenção à oferta de leite próximo ao almoço e jantar, uma vez que o cálcio presente no leite atrapalha a absorção de ferro.
  • Apesar de ser uma boa fonte de cálcio, o leite de vaca e seus derivados são contra indicados até 1 ano de idade, pois podem causar alergias e determinam grande risco para o desenvolvimento de certos tipos de anemias.

Vitamina A

  • Fígado, de preferência orgânico, cozido em tiras.
  • Cenoura e abóbora, cozidas em tiras, compridas o suficiente para que o bebê consiga agarrar sem esmagar, deixando livre uma ponta para que ele leve à boca.
  • Mamão e manga em tiras, mantendo a casca para ajudar na preensão palmar.
  • Gema de ovo e vegetais verdes escuros.

Michelle BentoNutricionista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 2008, pós graduada em nutrição clínica funcional pelo Instituto Valéria Pascoal. Atua em consultório e como personal (2)

Referências:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Dez passos para uma alimentação saudável: guia alimentar para crianças menores de dois anos: um guia para o profissional da saúde na atenção básica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2 ed. – 2 reimpr. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente e na escola. Departamento de Nutrologia, 3a ed. Rio de Janeiro, RJ: SBP 2012.

World Health Organization. Department of Nutrition for Health and Development. Complementary feeding: family foods for breastfed children. Geneva: WHO, 2000.

 

face-ads-2

Um comentário sobre “BLW: O bebê vai comer tudo o que precisa?

  1. Olá! Meu filho tem um ano e sete meses e mama no peito, e não tem aceitado muitas frutas, só as amassadas como banana e abacate (as vezes acho que é por conta do aleitamento), mas o alimento salgado está comendo. Como faço para ele se alimentar melhor? Tenho que introduzir esse método como se estivesse iniciando a introdução alimentar? Fico com medo dele só querer mamar e não comer…

    Curtir

Os comentários estão desativados.