Crianças pequenas costumam ficar desconfiadas com novos alimentos: ainda que já tenham sido apresentados de alguma forma a eles!

Encontrar pontes cognitivas ajuda a criança a integrar cérebro e reduzir o medo e a ansiedade de provar algo novo. “A cenoura é prima da batatinha que você ama”, ou “Esse macarrão parece o espaguete da vovó! Podíamos chamá-lo de espaguete-parafuso!”, ou ainda “essa carninha é parecida com aquela gostosa que você me disse que comeu na escola, lembra?”. São associações simples que favorecem que a criança use os dois lados do cérebro, direito e esquerdo, para tomar decisões.

Lembrando que forçar a experimentar é tão prejudicial quanto forçar a comer. Não é porque alguém te diz que besouro faz bem e é proteína que você vai imediatamente ficar tentado a comê-lo, não é mesmo?

Anúncios