10 dicas para melhorar a alimentação das crianças pequenas

bigstock--135849584

Quem acompanha a gente no instagram e facebook, viu que começo do ano foi punk por aqui. Mas algumas coisas estão funcionando bem e acho que podem te ajudar:

1 – Acertar a rotina. Não é fácil, tem chororô, soneca sem almoço, almoço mais tarde, dia sem jantar, jantar com tv, fruta às 11 da noite, almoço requentado na janta… E apesar de eu me esforçar, tem dias que nada dá certo e que essas situações acontecem mesmo. #MaternidadeReal, nua e crua.

2 – Antecipar a rotina. Converso sobre tudo o que vai acontecer em cada horário, e reforço isso diariamente. Ele aprendeu o que é café da manhã, almoço, lanche e jantar, e o que se come e o que não se come em cada uma dessas refeições.

3 – Não ter hábito de comprar guloseimas. Ou eu acabava com os biscoitos, ou eles acabavam comigo. Isso não quer dizer que estão proibidos, apenas que dificilmente tem no armário.

4 – Colocar as “tentações” em cima da geladeira, onde ele não alcança. Aqui o principal é o pão. O combinado é comer pão, ou no café da manhã, ou no lanche da tarde.

5 – O almoço é a refeição mais sagrada. Almoçamos todos juntos e não tem barganha. Não quer almoçar, não precisa, mas também não tem pão-biscoito-chocolate-sorvete-fruta ou qualquer outra coisa que ele queira que não esteja entre as opções do almoço. Se não quiser almoçar, beleuza, à tarde ele pode comer alguma dessas coisas na hora do lanche. É claro que isso envolve um chororô nos dias que teima, e vários dias resolve sentar pra almoçar sozinho, depois que todos já terminaram e ele já se acalmou.

6 – Oferecer apenas frutas e/ou leite no café da manhã. Às vezes não consigo (porque ele vê a gente comendo outras coisas e pede), mas quando ele come só fruta no café da manhã, ele almoça bem melhor.

7 – Ajudar no preparo das refeições sempre que possível! No jantar, principalmente, adora fazer seu ovinho mexido.

8 – Se servir sozinho! Dica da Dani @bb_blw, aqui em casa deu super certo. Ele se serve do que mais gosta e come muito melhor (veja o vídeo).

9 – Café da manhã reforçado com ovos mexidos antes de qualquer festa regada a doces.

10 – Dar limites e respeitar. Embora minha maior dificuldade seja aceitar escolhas não saudáveis, sigo no mantra “faço minha parte” 🙂

Aline P

 

CONALCO2017

Alimentação saudável nas férias de verão

20170101_172948

Férias. Ahhhh férias. Aquela hora que sai tudo do controle, a bolha estoura e o bicho pega. Se vc se achava a diferentona porque seu filho não comia besteira nenhuma…. esquece, amor. Ele não é mais um bebê e tá cheio de quereres e não quereres. E ai de vc se não der autonomia.

É o amigo que dá biscoito, a prima que dá chiclete, o fulano que dá pirulito e o ciclano que diz “mas o quê que tem?”. Quê que tem que dá trabalho, né gente. Mas a gente não mora numa bolha.

O drama começa na parada, na estrada, com aquele monte de açúcar que rodopia entre os brinquedos na loja de conveniência. Fico pensando como é injusto culpar os pais. Culpa os pais porque tá obeso. Culpa os pais porque não sabe controlar o filho que dá birra querendo a porcaria que tá na fuça dele. Culpa os pais e a indústria do açúcar samba na nossa cara.
Mas aí, minha gente, não pode proibir. Porque o proibido é muito mais gostoso (já esqueceram, é? rs). Então a gente rebola. Diz que a moça da loja não deixa levar, que depois a gente volta, que aquela embalagem colorida nem é de comer. Dá um e esconde o resto, diz que acabou.

“Quer papá, Nini?”

“Não, qué bissoitos”

“Agora não é hora de biscoito, é hora de papá comidinha. Vai viver de biscoito agora?”

Diz que sim com a cabeça. E completa: “E choiate”. rsrs

E fez BLW. Terminou a IA com ParticipATIVA. E comeu açúcar só depois dos dois anos.

Mas não vivemos numa bolha.

A vida real existe e fazer da alimentação algo leve, que não seja impositivo, mas que seja divertido, gostoso, que satisfaça todos os sentidos, incluindo o emocional, é preciso. É difícil bagarai. Eu erro todos os dias, mas reflito. Me sinto culpada, mas sabe? Faz parte. A culpa tb faz a gente repensar e tentar agir melhor em uma próxima vez.

São nossos novos desafios.

Um prato, um contexto: criança com fome, eu esquentando a comida, meu pai comendo um chocolate bem na hora em que entramos na cozinha.

“Quééé choiaaaate”

Taí. Comeu o ovo, o chocolate, a cenoura, o frango, o arroz. Nessa ordem. Saiu felizão e foi curtir a tarde na piscina.

Férias. Ahhhh, férias. Nunca mais serão as mesmas depois dos filhos.

A prova do crime 😂😂😂😂 #tanahoradopapa #feriasdeverao #VolteUmPostPraEntender

Uma publicação compartilhada por Por Aline Padovani (@tanahoradopapa) em

 

face-ads-2