5 dicas para criar uma criança que come de tudo

Traduzido e adaptado de Fit Pregnancy and Baby, escrito por Lindsay Tigar – Texto original aqui.

dreamstime_xl_72948182.jpg

Amplie o paladar do seu bebê!

Uma das melhores partes da vida é poder ter experiências através de todos os seus sentidos – e o sabor é uma das primeiras e melhores maneiras de experimentar o mundo.

As papilas gustativas de um bebê são desenvolvidas a partir do momento em que nascem, e cabe a você apresentar novos sabores e texturas para o seu pequeno. Mas como exatamente fazer isso? Alguns especialistas compartilham aqui tudo o que você precisa saber sobre o treinamento do paladar!

 

Por que treinar o paladar é importante?

Treinar o paladar é mais do que permitir que seu bebê coma uma dieta variada e saudável. “Ensinar as crianças a apreciar uma grande variedade de alimentos é tão vital quanto outras habilidades para a vida”, explica a nutricionista Diana K. Rice. “Não só irá ajudá-los a consumir regularmente uma dieta mais nutritiva, como também é uma importante habilidade social para toda a vida, além de reduzir as situações de estresse quando se come fora de casa”.

Também ajuda o bebê a interagir com seus irmãos (atuais ou futuros), construindo pontes que conectam toda sua família. Pense sobre aquela receita familiar incrível, ou simplesmente um dia da semana em que todos se reúnem à mesa: as famílias, muitas vezes, compartilham preferências alimentares que, embora não sejam herdadas, são encorajadas através das gerações. “Treinar o paladar é importante porque é inevitável”, explica Adina Pearson, nutricionista e autora do blog HealthyLittleEaters.com e co-autora do FeedingBytes.com. “Se você quer que seus filhos desfrutem os alimentos que sua família gosta, eles precisam ter experiências com eles”.

 

Quando você deve começar a treinar o paladar da criança?

Alguns especialistas acreditam que o treinamento do paladar acontece ainda no útero, com base na dieta da mãe. Mas esse treinamento oficialmente começa quando o bebê experimenta alimentos sólidos, diz Pearson: “Todos os bebês começam a treinar o paladar simplesmente através da seleção de alimentos oferecidos”.

Mas há mais do que apenas quais perfis de sabores seu bebê irá gostar: doces ou salgados, azedo ou amargo. Encoraje seu filho a interagir também com várias texturas, para que ele não desenvolva aversão a algo mais duro ou crocante, por exemplo. “Os princípios que apoiam o treinamento do sabor, como rotinas de refeições positivas e exploração de alimentos, podem ser feitos à medida que os sólidos são introduzidos – por exemplo, permitindo que o bebê toque e explore alimentos quando ele começa a desenvolver habilidades motoras”, explica Grace Wong, Mestre e Nutricionista Materno Infantil.

 

Como faço para começar?

Com tantas opções de alimentos, pode parecer um tanto desafiador descobrir como apresentar seu filho a uma variedade de sabores e texturas. Veja como fazer isso direito:

 

1 – Não apenas dê o que ele quer.

Se você tem ou conhece uma criança com mais de 3 anos de idade, então você definitivamente sabe como é um comedor exigente. Para evitar que seu filho queira criar o seu próprio jantar, experimente a sugestão da nutricionista Diana K. Rice: se você descobrir que seu bebê gosta de cenouras, apresente também a beterrabas.

“Mude o que você está oferecendo. Não pense, ‘Ah, ele gosta disso, vou ter certeza de dar-lhe muitas vezes.’ Pense, ‘Ok, ele gosta disso, então é melhor eu tentar um vegetal diferente hoje.’ Ofereça as cenouras novamente em cerca de uma semana para que seu filho se lembre dela “, explica Rice. “Você também pode usar os alimentos que seu bebê prefere e apresentá-lo a sabores adicionais. Pense em cenouras assadas com alho e ervas ou jogadas com um fio de vinagre balsâmico “.

 

2 – Desfrutem o comer em família.

Embora muitas famílias tenham dificuldade em encontrar o tempo necessário para isso, sabe-se que sentar e desfrutar de uma refeição em conjunto não é importante apenas para a construção de laços afetivos fortes, mas também para a normalização de sabores.

Wong diz que, mesmo que você não consiga fazer isso todas as noites, tente ao menos fazer refeições familiares nos finais de semana. Durante este tempo, seu bebê começará a assistir como o resto da família come e se sente mais confortável com o compartilhamento e a tentativa de provar novos alimentos – especialmente se eles o veem comer primeiro.

Wong diz que isso cria a mentalidade de que não há diferença entre “refeições para crianças” e “refeições para adultos”. “Adultos e crianças podem compartilhar a mesma refeição, incluindo alimentos que são familiares para seu filho, bem como alimentos novos”, diz Wong. “Desta forma, você não ficaria preso em uma rotina de servir os mesmos alimentos uma e outra vez novamente. Você tem a liberdade de servir uma variedade de alimentos e proporcionar-lhes oportunidades para explorar e familiarizar-se com novos alimentos”. Claro, certifique-se de que qualquer alimento familiar seja apropriado para a idade do seu bebê.

 

3 – Dê-lhe uma verdadeira prova, não uma refeição.

Rice diz que “as duas coisas mais importantes a ter em mente são começar com pequenas porções e oferecer alimentos consistentemente. Ofereça apenas uma quantidade de um novo alimento e não coloque um prato inteiro na frente do seu filho na esperança de que ele gostará e decidirá comer mais “, diz ela. “Se a criança comer o bocado, você pode oferecer mais, mas não pressioná-la. E se ela comeu ou não o pequeno bocado de comida, ofereça-o novamente em alguns dias até que ela finalmente esteja disposta a comer”. 

 

4 – Não fique desapontado se ele não gostar.

Não é um ataque pessoal ao seu estilo parental ou às suas habilidades culinárias, se seu filho simplesmente não consegue correr atrás das ervilhas. Ou do brócolis. Ampliar o paladar não é fazer do bebê um cozinheiro novato com um paladar refinado, mas sim, permitir que ele explore suas próprias preferências.

“Eu gosto de encorajar os pais a experimentar este exercício: coloque a criança no cadeirão e lhe ofereça três pequenos brinquedos. Ele vai em direção a um brinquedo e ignora outro? Você sente como uma falha porque seu filho está ignorando um brinquedo que você ofereceu? Eu duvido muito disso! 

Quem sabe por que as crianças têm as preferências que eles fazem?”, Diz Rice. “Com a comida, o importante a fazer é consistentemente apresentar um alimento que a criança já rejeitou antes de aceitá-lo. E se eles realmente parecem odiar um punhado de sabores, aceite. A maioria dos adultos tem algumas coisas que eles preferem não comer, também“.

 

5- Melhor tarde do que nunca …

Se você já passou da introdução alimentar, ainda há tempo para ampliar o paladar. “Não é tarde demais se o seu filho já é criança. Apenas comece o quanto antes”, recomenda Rice. “As preferências de sabores que desenvolvemos na infância influenciam nossos padrões de alimentação ao longo da vida. Quanto mais seu filho estranha novos alimentos, mais trabalho você terá para reverter essas preferências”.

 

CONALCO2017